Revista de Medicina Desportiva

Ano 14 | Nº06 – NOVEMBRO 2023

Entrevista: Dr. António Ferreira
Recordar com Carinho: Dr. Raul Maia e Silva
FMUP: Resumos e comentários
Tema 1: Orientações Práticas para a Prescrição de Exercício Físico na Diabetes nos Cuidados de Saúde Primários
Tema 2: Contextualização da Especialidade de Medicina Desportiva em Portugal: Resultados de um Censo Elaborado pelo Colégio de Especialidade em 2022
Tema 3: Patologia Dermatológica em Atletas
Tema 4: A Tendinopatia dos Músculos Glúteos Médios e Mínimo
Instituição ASPETAR – Women’s Football (Summaries)
Homenagem: Dr. Jacques Rodineau
Resumo: Successful 10-second one-legged stance performance predicts survival in middle-aged and older individuals
SPMD: Em Busca da Melhor Metodologia para Avaliação Cardíaca Pré-competitiva do Atleta Jovem
Agenda

EDITORIAL

Dr. Basil Ribeiro

Linha Única

Leio nesta edição um trabalho exaustivo e competente realizado pelo anterior Colégio de Especialidade de Medicina Desportiva da Ordem dos Médicos. A realidade não me parece muito boa, mas fomos nós que a construímos, seremos nós a melhorá-la. É um privilégio gerir a saúde e o rendimento do atleta de alta de competição, é maravilhosa a oportunidade para prevenir e ajudar a tratar doenças com a prescrição do exercício físico. O que li não vai ao encontro destes objetivos, dá a entender que a especialidade de Medicina Desportiva é apenas mais uma que se conquista, que se exibe e se esquece da sua prática. Assim, ela morrerá rapidamente, não na sua existência, mas na sua intenção e utilidade. Nesta edição o Dr. Raul Maia Silva coloca o dedo na ferida, e parece ter razão, somos especialistas apenas para tratar entorses e roturas musculares, temos dificuldade em prescrever exercício físico. Não creio, contudo, que a culpa deva ser atribuída apenas aos especialistas em MD, o sistema de saúde em Portugal ainda não reconheceu o grande valor que a MD tem para a sociedade e teima em ignorá-la e excluí-la do sistema. O Censo que se publica nesta edição aponta direções, mas quem as operacionaliza, quem aponta a direção, quem vai à luta? Não bastam discursos bonitos, é preciso fazer acontecer. Onde andam os especialistas de MD, incomodados, que pouco ou nada contribuem para esta Revista? Quando foi a última vez que construíram MD através da produção de um texto, publicado aqui ou noutro local? Os temas submetidos para publicação são cada vez mais escassos e sem conteúdos não há futuro para a Revista, a MD perderá e depois encontrar-nos-emos num local qualquer para lamento.

Dr. Basil Ribeiro, Diretor

DESTAQUES

RMD ANO 14 | Nº6

ENTREVISTA

Dr. António Ferreira. Coimbra

“Comecei a jogar nos juvenis da Académica de Coimbra e continuei até chegar à Universidade. Quando terminei o curso, inscrevi-me no Mestrado de Medicina Desportiva e preparei a minha tese sobre o perfil antropométrico do jogador de râguebi, colaborando com os clubes de Coimbra. Dessa colaboração académica seguiu-se uma parceria profissional e, em 2012/13, assumi o Departamento Médico da AAC Rugby… Os atletas da modalidade apresentam perfis muito distintos. Naturalmente, isto cria desafios na abordagem ao exame físico, mas recordo que também eu fui jogador de râguebi e fisicamente não me posso considerar pequeno… Assim, apesar das limitações próprias na interpretação do exame físico resultantes das elevadas massas corporais destes atletas, não posso dizer que sinta reais dificuldades na sua execução…. Todos os atletas com quem tenho tido a sorte de trabalhar destacam-se por terem, globalmente, um comportamento ético e uma educação acima da média…. Todos os elogios seriam poucos para a organização médica do Campeonato do Mundo. Disponibilizarem em todos os recintos de treino material médico e de emergência, providenciarem equipamento e material de reabilitação em cada hotel…”

TEMA

Contextualização da especialidade de Medicina Desportiva em Portugal: resultados de um censo elaborado pelo Colégio de Especialidade em 2022

The understanding of the reality, and specify, of sports medicine specialists, in Portugal, continues to unravel in most of the aspects in relationship with its practice. The previous Portuguese Sports Medicine College Board decided to better understand that reality through a census among the Portuguese specialists in the year of 2022. The goals were to quantify and characterize the specialists and understand the age profile, geographic distribution, professional links, sports medicine involvement, concerns, and suggestions, to better understand the Portuguese Sports Medicine reality and justify the appropriate measures to improve performance and assistance results.

RESUMOS

Dr. Basil Ribeiro

2020 ESC Guidelines on sports cardiology and exercise in patients with cardiovascular disease

Summaries of:
1.Exercise and sports in ageing
2.Exercise recommendations in individuals with valvular heart disease (válvula aórtica bicúspide)
3.Exercise recommendations in individuals with cardiomyopathies, myocarditis, and pericarditis (ventrículo esquerdo não compactado)

Recordar com carinho

Dr. Raul maia e silva

“Apesar de ter dedicado uma grande parte da minha vida profissional à Medicina do Desporto, sobretudo à traumatologia, no Centro de Medicina Desportiva do Porto, nas Federações Portuguesas de Voleibol e de Atletismo, em consultas de traumatologia do desporto em vários clubes e serviços por onde passei, fui sempre principalmente um fisiatra que nunca descurou a sua carreira hospitalar… Como atleta de voleibol a maior alegria foi ter alcançado a Seleção Nacional Sénior… fiquei muito contente e orgulhoso quando os meus colegas da Comissão Médica do Comité Olímpico de Portugal me elegeram para integrar a Missão Olímpica aos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992… proponho acabar de vez com a infeliz designação de Medicina Desportiva e substituí-la por MEDICINA DO DESPORTO… Façam como Jacques Rodineau me ensinou. Em primeiro lugar um INTERROGATÓRIO bem conduzido e completo. Depois um EXAME programado, efetuado sempre pela mesma ordem, que conduza à procura de sinais patológicos no decurso de diferentes sequências, Chegar ao diagnóstico antes dos exames complementares ajuda-nos a gostar, cada vez mais, da nossa profissão…”

SPMD

Em busca da melhor metodologia para avaliação cardíaca pré-competitiva do atleta jovem

Prof. Doutor Ovídio Costa

The aim of this text is to highlight the aspects of the study recently published in the European Heart Journal (Value of screening for the risk of sudden cardiac death in young competitive athletes) and the two comments and one editorial that followed it, which, due to their relevance and uniqueness, could drive future processes to optimise athlete screening methodologies, improving their efficiency, and reducing costs. This will require further studies with follow-up, the refinement of normality criteria and the implementation of immediate and effective resuscitation measures with automatic external defibrillation in all sports venues and gyms.

TEMA

Patologia dermatológica em atletas

Dr. André Teixeira, Dr. João Teixeira, Dr. Nuno Loureiro, Dr. Jorge Fortunato, Dr. João Pedro Araújo

Dermatological conditions are prevalent among elite athletes, affecting performance in different sports. The wide range of skin disease presentations makes the diagnosis challenging, although crucial for the implementation of effective treatment. Strategies for prevention and management of these lesions include education, the use of appropriate equipment, and close contact with dermatologist. Early diagnosis and intervention are essential in optimizing athlete performance and minimizing the impact of these diseases on their careers. This review offers a comprehensive analysis of skin lesions among elite athletes.

TEMA

A tendinopatia dos músculos glúteos médios e mínimo

Dra. Patrícia Pires, Dr. Marco Pato, Dr. Pedro Beckert

Pain around the greater trochanter is a frequent clinical problem that may be secondary to a variety of either intra-articular or periarticular pathologies. Medium and minimum gluteal tendon pathologies are one of the primary causes of trochanteric pain, despite being still underrecognized. It is usual in athletes, especially runners. The diagnosis requires a high suspicion degree, as well as an adequate anamnesis, objective examination, and complementary investigation. Tendinopathy as a clinical syndrome and tendon disfunction, is often a chronical condition and an enigma. Treatment is a challenge, since there isn´t a consensus founded on available evidence.

HOMENAGEM

Dr. Jacques Rodineau

Dr. Basil Ribeiro

“O Dr. Jacques Rodineau faleceu em 13 de outubro de 2023, aos 87 anos. Partiu para outro Mundo, mas não nos abandonou. Deixou-nos a memória de belos momentos de convívio e do conforto que nos dava… Deixou-nos a tristeza da sua partida, mas deixou-nos também a certeza que partiu bem… Mas, para nós, era também um amigo e um grande mestre. Ele era o médico que eu gostaria de ser, era o médico que falava com o paciente e o examinava depois, que o ouvia e queria compreender, que o tratava e consolava.”
Depoimentos de:
  1. Dr. Raul Maia e Silva
  2. Prof. Dr. João Páscoa Pinheiro, Dr. Pedro Lemos Pereira
  3. Prof. Doutor Fernando Fonseca
  4. Dr. Gonçalo Borges
  5. Dr. Henrique Jones

RESUMO E COMENTÁRIO

Successful 10-second one-legged stance performance predicts survival in middle-aged and older individuals

Dr. Bruno Pereira Paiva

Orientações práticas para a prescrição de exercício físico na diabetes nos cuidados de saúde primários

Dra. Leonor Xavier Rocha, Dra. Filipa da Costa Teixeira, Dra. Raquel Lima

Diabetes mellitus is a global epidemic, reaching 14.1% of the Portuguese population. Physical exercise is one of the pillars of the treatment of diabetes mellitus. Regular physical exercise improves glycaemic control, insulin sensitivity, lipid profile and regulates blood pressure. High-intensity interval training (HIIT), indicated for younger individuals with better physical condition, demonstrated superior efficacy to low-intensity exercise. Training combined with aerobic and resistance exercise shows superior results than either mode alone, with a greater reduction in haemoglobin A1c (HA1c).

ASPETAR – Women’s Football (Summaries)

Dr. Basil Ribeiro

Summaries of:
1.“From our guest editors”
2.“Pushing for a change in women’s soccer”
3.“Interview with Jill Ellis”
4.“Lifelong female football player health and the importance of the athlete voice”
5.“Cardiovascular adaptations and cardiac risks in female football players”
6.“Team physician in elite female football”

PUB

TEMA DA SEMANA

Dutch multidisciplinary guideline on Achilles tendinopathy

PUB

IOC FRAMEWORK ON FAIRNESS, INCLUSION AND NON-DISCRIMINATION ON THE BASIS OF GENDER IDENTITY AND SEX VARIATIONS

PUB

PUB

PARCEIROS

Revista de Medicina Desportiva