Revista de Medicina Desportiva

Ano 13 | Nº04 – Julho 2022

ENTREVISTA: Amadeu Francisco
FMUP: Resumos e comentários
Tema 1: A Natação como Terapêutica Coadjuvante da Asma em Idade Pediátrica
Tema 2: Traumatologia Associada ao Uso das Trotinetas Elétricas
Tema 3: A Refeição para o Jogo de Futebol às 14h00
Tema 4: A Morte Súbita Cardíaca em Atletas e a Avaliação Médico-Desportiva Cardiovascular em Portugal
SPMD: O Congresso Nacional de Medicina Desportiva
Reportagem, Resumos, Agenda e muito mais…

Que intensidade e duração para o exercício do jovem?
Dr. Basil Ribeiro

MEDICINA DESPORTIVA, VILA NOVA DE GAIA

 

 

EDITORIAL

Dr. Basil Ribeiro

Linha Única

O futebol é de facto o grande movimento desportivo em Portugal, envolve milhares de praticantes, desperta emoções em milhões de pessoas, em casa, na rua ou no trabalho. A nova época começou recentemente e é normal ver-se a entrada e saída de jogadores e de treinadores, em movimentações juridicamente validadas e ética e moralmente bem estruturadas. Ouvem-se os milhões das transferências, conhecem-se o número de anos dos contratos. O mercado está regulamentado, as pessoas sentem-se seguras, trabalham com tranquilidade. E o que se passa em relação aos médicos? Existe segurança e regulação? Muitos médicos foram despedidos das equipas profissionais de futebol durante este defeso ou estão em vias de serem despedidos. Sem apelo, ou agravo. Quase sempre de modo inesperado, nem sempre acompanhado de palavras de gratidão. Não importa a competência, a lealdade, a assiduidade, o médico tornou-se num agente descartável do futebol, não é mais uma referência no clube, não é mais a reserva moral e o porto de abrigo para os muitos problemas físicos e emocionais.

É apenas mais um elemento da estrutura, é apenas mais um que vai ao clube passar umas receitas. Quem protege o médico? Quem se tem preocupado em garantir um contrato com registo na Liga? Quem acompanha estes colegas e tem uma palavra de conforto na hora da despedida? Quem lhes dá estabilidade e regulamentação? As respostas dos colegas com quem tenho falado são de desilusão, de solidão e de abandono. Está na altura de criar uma Associação funcional, que reflita e discuta, se preocupe e operacionalize as necessidades do médico de equipa. Nós, os médicos do futebol, temos de começar a trabalhar para estes objetivos e abandonar os velhos chavões que nada contribuem para a felicidade do médico, a qual também contribui para o sucesso desportivo.

Boas férias, bom regresso ao desporto.

DESTAQUES

RMD ANO 13 | Nº4

RESUMOS E COMENTÁRIOS

Device-measured physical activity, adiposity, and mortality: a harmonized meta-analysis of eight prospective cohort studies

Dr. António Pais Neto1, Dr. Luís Oliveira2

1Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão; 2Centro de Reabilitação do Norte

The Goldilocks Zone for Exercise: Not Too Little, Not Too Much

Dr. Eugénio Gonçalves1, Dra. Cátia Brazete2

1Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia Espinho; 2 Unidade Local de Saúde do Alto Minho.

TEMA 1

A Natação como Terapêutica Coadjuvante da Asma em Idade Pediátrica

RESUMO

A Asma é a doença crónica mais prevalente em idade pediátrica e caracteriza-se por inflamação crónica das vias aéreas e limitação variável do fluxo expiratório. A prática regular de exercício físico é uma das estratégias não farmacológicas recomendada para esta doença.

TEMA 4

A Morte Súbita Cardíaca em Atletas e a Avaliação Médico-Desportiva Cardiovascular em Portugal

RESUMO

Introdução: A morte súbita cardíaca em atletas é um evento que todos queremos prevenir, pelo que é necessário perceber as principais causas e os melhores métodos de diagnóstico. Métodos: Pesquisa no Pubmed de artigos entre 2011 e 2021 e criação de um questionário respondido por responsáveis de clubes portugueses.

ENTREVISTA

AMADEU FRANCISCO

REFORMADO

“…Devem tentar fazer uma alimentação o mais correta e equilibrada possível. Variar na alimentação, não consumir álcool, não fumar, evitar aquilo que pode ser prejudicial à saúde. Tudo isto pode ser uma forma de viver melhor, não sei se com mais longevidade, mas pelo menos com mais qualidade. Quem não consegue ir ao ginásio deve tentar caminhar, manter o corpo em movimento. Muitas pessoas, principalmente na idade da reforma, param, deixam de se exercitar para se manterem vivas, preferem o sofá. Tornam-se sedentários. Outro concelho que deixo é que todos os dias definam objetivos, todos os dias há muito para criar e fazer. Nunca parar, a idade não pode ser um impedimento.”

REPORTAGEM

O Congresso anual do Colégio Americano de Medicina Desportiva

Dr. José Carlos Carneiro1, Dr. Manuel Vaz2

1Centro Hospitalar do Médio Ave; 2 Centro Hospitalar do Médio Ave, Centro Desportivo de Guimarães

“Decorreu entre 31 de Maio a 04 de Junho de 2022 no Centro de Convenções de San Diego, Califórnia (EUA), o American College of Sports Medicine (ACSM) 2022 Annual Meeting and World Congresses, um dos maiores congressos da área da medicina desportiva e das ciências do desporto e que abrange uma diversidade imensa de tópicos, desde a saúde populacional ao acompanhamento clínico do atleta de alta competição, assim como a ciência básica do exercício e a sua translação clínica…”

TEMA 2

Traumatologia Associada ao Uso das Trotinetas Elétricas

RESUMO

O uso de trotineta não é recente e foram os avanços na tecnologia eletrónica os principais impulsionadores das trotinetas elétricas como meio de transporte coletivo. No entanto, o ganho de mobilidade teve como consequência o aumento da sinistralidade que, aliado a outros comportamentos de risco, como alcoolismo e a condução ao telemóvel, transformaram as trotinetas num problema de saúde pública. Os acidentes de viação envolvendo veículos de duas rodas são tendencialmente mais graves.

RESUMOS

Curso de Cardiologia Desportiva

Notícias

Notícias

JAMA

SPMD

A Sociedade Portuguesa de Medicina Desportiva tem o prazer de anunciar o lançamento do curso: Medicina baseada em Exercício.

Dra. Beatriz Cardoso-Marinho

A Sociedade Portuguesa de Medicina Desportiva tem o prazer de anunciar o lançamento do curso: Medicina baseada em Exercício.

Dr. Alexandre Rebelo Marques

TEMA 3

A Refeição para o Jogo de Futebol às 14h00

RESUMO

A intensidade do jogo de futebol está associada a um elevado gasto energético (1106-1600kcal) onde a alimentação do jogador assume um papel preponderante. Neste contexto, assume particular importância a última refeição antes do jogo que deve ser realizada com 3 a 4 horas de antecedência.

TEMA 5

Lesões do Canto Póstero-Lateral do Joelho

RESUMO

As lesões do canto póstero-lateral do joelho são atualmente reconhecidas como um importante componente de instabilidade articular, ocorrendo mais frequentemente no contexto de lesões multiligamentares. O conhecimento da anatomia e da biomecânica das estruturas envolvidas é essencial, e o diagnóstico passa inicialmente pela história clínica e exame físico, sendo posteriormente complementado por exames complementares de imagem, como a radiografia e a ressonância magnética.

Notícias

PUB

TEMA DA SEMANA

The Goldilocks Zone for Exercise:
Not Too Little, Not Too Much

by James H. O’Keefe, MD, Evan L. O’Keefe, MS & Carl J. Lavie, MD

PUB

PUB

19º CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA DESPORTIVA DA SPMD – 2022-2023

PUB

Caminhar 10.000 passos por dia: meta desejável ou mito urbano?

Dr. Christopher Labos, cardiologista.Medscape Cardiology - 21 mar 2022

PUB

PARCEIROS

Revista de Medicina Desportiva

Download APP
Redes Sociais