Home Notícias
Notícias

Modificado em 25 de agosto 2017

 

 

O Dr. Henrique Jones foi eleito Presidente da Sociedade Portuguesa de Artroscopia e Traumatologia Desportiva durante na Assembleia Geral Ordinária, realizada no dia 28 de Outubro de 2016, pelas 16 horas, no Centro de Congressos Alfândega, Porto. Terá agora um mandato de dois anos, durante o qual procurará dinamizar grupos de trabalho sobre:

ü Divulgação científica, treino de técnicas cirúrgicas (cadáver Lab) e formação (fellowships)

ü Estudo e referenciação nacional sobre várias patologias relacionadas com técnicas artroscópicas e traumatologia desportiva

ü Relações internacionais, divulgação (espaço/revista) e animação desportiva.

O Dr. Alcindo Silva é o primeiro vice-Presidente e será certamente o próximo candidato a Presidente da SPAT em 2018.

____________________________________________

A Capa da revista Time de setembro realça o tema exercício e a saúde. O título não deixa dúvidas: “O exercício cura”, referindo-se ainda que “mesmo pequenas quantidades de atividade física desencadeiam dúzias de alterações benéficas no corpo”. Contudo, apesar desta simples constatação, o autor refere que apenas 20% dos americanos obtêm os 150 minutos semanais de treino cardiovascular e de força e que mais de 80.2 milhões de americanos de idade superior a 6 anos são totalmente inativos. Um drama, sem dúvida. Para aumentar motivação para esta prática, apresenta os “7 benefícios surpreendentes do exercício”: é bom para o cérebro, torna as pessoas mais felizes, poderá envelhecer mais lentamente, torna a pele com melhor aspeto, poderá ajudar a recuperar de uma grande doença, as células adiposas encolhem e grandes benefícios podem ocorrer com pouco tempo de exercício. Fica o recado dado por esta revista com tiragem de três milhões de exemplares.

http://time.com/4474874/exercise-fitness-workouts/. Consulta em 01/09/2016

Foto Gjon Mili—The LIFE Picture Collection/Getty Images

________________________________________________

Os Drs. Rui Sales Marques e Miguel Costa organizaram este evento, o terceiro, com um programa centrado no atleta idoso, depois de em 2015 o tema ter sido o atleta jovem. Integrados no Grupo de Fisiatria de Intervenção (GFI) e do Grupo HPA Saúde, os responsáveis tiveram como objetivo a promoção e desenvolvimento da Medicina Desportiva (MD) na Região do Algarve e, a partir do Algarve, contribuir de forma abrangente para a promoção da especialidade. Vários especialistas locais, e de todo o país, apresentaram e discutiram temas atuais inerentes ao fenómeno do envelhecimento e à prática desportiva. Além da sessão teórica de elevado nível científico, o evento incluiu ainda workshops dedicados ao ensino de componentes práticas, como a intervenção ecoguiada na dor e na MD, o treino de força na patologia do joelho e a nutrição Desportiva entre outros. Os seus responsáveis, que felicitamos, “esperam no futuro poder contar com a magnífica adesão dos colegas da área da saúde que se deslocam de todo o país, Serão sempre muito bem recebidos no Algarve".

__________________________________

O que leva um jogador de futebol profissional no ativo, com uma carreira bonita e ainda com muitos anos a dar ao futebol a criar um sítio na internet, onde denuncia um problema grave para uma boa parte dos atletas que se retira(ra)m do seu desporto? É um sítio pessoal que inclui as suas memórias desportivas e algumas reflexões, mas na essência é um modo de chamar à atenção do atleta para um potencial problema que atingirá muitos dos que ainda estão no ativo. Quem o conhece sabe da sua generosidade, praticada na preocupação e ação com os atletas, os mais novos e os outros, de futebol ou não. E chama atenção dos mais novos, referindo que “o sonho do futebol, ainda que idílico para muitos, fica muitas vezes aquém do que se pensa ou deseja”, pois as “lesões graves, doenças inesperadas, problemas de gestão financeira, maus investimentos, fraudes, falta de pensamento pós-futebol, más opções de vida …” destroem o sonho. A sua preocupação com o futuro dos jogadores é enorme, pois descobriu que “3 em 5 jogadores da Premier League declaram falência num máximo de 5 anos depois de se retirarem”, que 60% dos jogadores da NBA ficam falidos em 5 anos e que cerca de 80% dos jogadores da NFL americana que se retiraram ficam falidos nos primeiros 3 anos. Esta é a mensagem que cria uma missão.

_______________________

A osteoporose é uma doença sistémica, progressiva, que resulta em muitos casos em fraturas, de consequências sociais e familiares muito preocupantes. Dizem os especialistas que, com o aumento da longevidade, se aproxima um tsunami de fraturas. Esperemos que não e assim pensa a Associação Portuguesa de Osteoporose que, com o apoio da Lactogal e da Runporto, promoveu esta ação de sensibilização, de informação e de concretização de um dos tipos de tratamento: o exercício físico. A caminhada / corrida foi participada por mais de três mil pessoas, de vária idades e condição social, que acreditam nesta causa e se divertiram bastante. Na véspera, houve várias palestras sobre a dinâmica da osteoporose e foi possível ouvir conteúdos sobre pediatria, ortopedia, nutrição e exercício físico. A linguagem simples, prática e objectiva foi facilmente perceptível pelas várias dezenas de pessoas na tenda montada na Rotunda da Boavista, no Porto. No mesmo local procedeu-se a teste de rastreio da osteoporose, avaliada no osso rádio. De relatório numa mão, um batido de leite e frutos na outra e com um pouco mais de sabedoria as pessoas foram saindo satisfeitas e com a expetativa de voltarem no próximo ano, mas agora acompanhadas por mais alguém. Para janeiro está prevista a publicação nesta Revista das cinco palestras.

 

____________________

Nutrimento é o nome do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, da Direção-Geral da Saúde, e foi escolhido como forma de homenagear o Dr. Emílio Peres, o qual foi um dos grandes impulsionadores do ensino da nutrição em ambiente universitário. Pode ser consultado na internet (www.nutrimento.pt) e é rico em muita informação sobre nutrição e alimentação em vários contextos. Apresenta 19 manuais, de conteúdos diversos (Deixar de fumar e controlo do peso corporal, Alimentação vegetariana em idade escolar, Nutrição e Doença de Alzheimer, etc.), nove cartazes informativos (Os dez princípios da dieta mediterrânica em Portugal, Saúde Oral e Alimentação, As bebidas e a nossa saúde, etc.) e sete vídeos (Combinações saudáveis para lanches equilibrados, Grande reportagem | “Somos o que comemos”, Já pensou no seu pequeno-almoço de amanhã? etc.). Através do seu role de notícias é possível ter acesso a manuais estrangeiros, como o recentemente colocado na página: Good Maternal Nutrition – The best start in life, o que revela a sua atualização permanente e atempada. É um local a visitar, sem dúvida, e parabéns pela sua criação e manutenção.

_________________________

A osteoporose é conhecida pela doença que “rouba silenciosamente”, que atinge mais as mulheres, os mais idosos e aqueles com mais fatores de risco alteráveis. Contudo, as suas consequências são devastadoras. Muitas vezes o primeiro sinal da doença é a fratura, a qual provocará grande incapacidade para as simples atividades diárias (alimentação, vestir, ir ás compras) e alguma mortalidade. O Dia Mundial da Osteoporose foi em 10 de outubro, mas a International Osteoporosis Foundation (IOF) antecipou-se e publicou este livro de 42 páginas onde as “Falhas e as Soluções na Saúde Óssea”. Os autores referem que um “tsunami de fraturas aproxima-se, o qual terá grande um impacto humano e socioeconómico. Referem que “menos de metade dos idosos que sobrevivam a uma fratura da anca conseguirão caminhar de novo sem ajuda e cerca de 20% serão encaminhados para lares no ano que se segue a fratura”. Refere-se neste relatório que, apesar do perigo global destas fraturas e da existência de terapêuticas eficazes e de custo adequado, continua a haver falhas nos cuidados prestados a milhões de pessoas em risco, pelo que se justifica esta obra. Em janeiro será publicado um dossier sobre esta temática, mas no entretanto esta obra pode ser consultado no site desta Revista (www.revdesportiva.pt).

______________________________________

A Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para o ano de 2017, início a 1 de janeiro, foi já publicada pela Agência Mundial de Antidopagem. É mais uma vez uma lista exaustiva, dividida em categorias e em substâncias / métodos proibidos em e fora de competição. Em relação à Lista de 2016 existem algumas pequenas alterações, quase todas de pormenor técnico muito específico. Contudo, fica-se a saber que a suplementação de oxigénio por inalação é agora permitida, que existem algumas alterações em relação aos agentes β2 agonistas e em relação aos corticoides não há alterações. Refira-se a inclusão da codeína e o uso combinado de β-agonistas no Programa de Monitorização, as quais se juntam ao tramadol, à cafeína, à fenilfrenina e sinefrina, aos corticoides quando aplicados pelos métodos não proibidos e outras. Estas substâncias podem usadas, mas são analisadas nas amostras biológicas para estudo do padrão de utilização. O álcool é proibido em competição em quatro desportos: desportos aéreos, desporto automóvel, motonáutica e tiro com arco. Neste caso, a violação ao Código acontece quando a concentração no sangue é superior a 0.10 mg/L. Já no sítio da Revista: www.revdesportiva.pt (clicar em Antidopagem no top menu).

 

 

______________________________________________

A EFSMA (Federação Europeia de Associações de Medicina Desportiva) publicou em junho de 2015 uma Posição sobre “The pre-participation examination in sports: EFSMA Statement on ECG for pre-participation examination”. Depois da Introdução referem-se os objetivos do exame médico de pré-participação desportiva para proteger a saúde dos atletas, seguindo-se a História do exame médico, o Exame físico, o ECG em repouso, os prós e contras da realização do ECG em repouso neste contexto, discutindo a especificidade e sensibilidade, a leitura visual e a automática do aparelho, as consequências psicológicas dos falso-positivos e dos falsos-negativos, assim como impacto nos jogadores e famílias, os aspetos metodológicos e logísticos e os custos financeiros. Também a realização do ECG nas crianças e nos adolescentes é abordado, aconselhando-se a realização a partir dos 12 anos de idade. O texto termina com recomendações ara a realização deste exame médico na Europa, defendendo-se que após a história clínica e o exame objetivo o ECG deve ser realizado num aparelho com leitura computorizada, mas previamente “formatado” para ECGs de atletas. A leitura deste texto pode ser feita no site desta Revista: www.revdesportiva.pt.

Ref. Löllgen H, Börjesson M, Cummiskey J, Bachl N, Debruyne A.: The Pre-Participation Examination in Sports: EFSMA Statement on ECG for Pre-Participation Examination. Dtsch Z Sportmed. 2015; 66: 151-155. DOI: 10.5960/dzsm.2015.182.

______________________________________________

O Prof. Doutor Manuel Sérgio publicou mais uma interessantíssima obra onde revela o seu pensar sobre o futebol. O Prefácio é do Mister José Mourinho, um dos seus alunos na Faculdade, e foi escrito com tanto de entusiasmo, como de gratidão e de reconhecimento. Logo no início refere que vai ler “mais umas páginas e mais umas lições receberá de um filósofo do desporto, que vem ensinando os seus leitores o que o desporto tem de mais profundo, de mais científico, de mais autêntico”. São vários capítulos onde descreve “Os ídolos da minha juventude”, revelando memória e gratidão, “O conflito dos paradigmas”, “O treino e a complexidade humana”, “Os técnicos de saúde e os árbitros”, “Do futebol à filosofia”, “Do ser pessoa à prática d futebol”, “O futebol é feito para os deuses?”, entre outros, para concluir de um modo extraordinário: ”Não enfrentar o presente com a cultura do passado”. Este jovem de 82 anos de idade, condecorado várias vezes, em Portugal e no Brasil, mantém uma jovialidade impressionante, assente na atenção e perspicácia permanentes. Parabéns Professor e obrigado pelo livro que me presenteou. A edição é da Primebooks.

______________________________________________

 

O Dr. Henrique Jones, um dos mais distintos ortopedistas desportivos, foi eleito 2º Vice-Presidente do Comité Médico da UEFA, cujo mandato de quatro anos terminará em 2019. Para Portugal em geral e para a medicina portuguesa mais em particular é um motivo de grande satisfação e orgulho. Este comité, um dos 19 da UEFA e constituído por 13 médicos, mantém a Presidência do Dr. Michel D’Hooghe da Bélgica, sendo o 1º e 3º Vice-Presidentes os drs. Helena Herrero, de Espanha, e Pierre Rochcongar, de França, respetivamente. No site da UEFA lê-se que são objetivos do Comité a “troca ideias sobre assuntos médicos da atualidade relacionados com o futebol”, o desenvolvimento de “programas de formação médica para o futebol”, a monitorização do programa de antidopagem da UEFA, a monitorização dos estudos sobre lesões específicas do futebol, entre outros, para além de organizar uma conferência médica a cada quatro anos. Felicitamos o Dr. Henrique Jones  pelo seu novo cargo e pelo empenho com que continua a prestigiar a medicina desportiva nacional.

______________________________________________

 

A Clínica das Conchas é uma Unidade de Saúde em Lisboa vocacionada para a Medicina do Exercício (MEX®), recentemente distinguida como centro de Excelência do European College of Sports and Exercise Physicians. Lançado em 2004, é um projeto ambicioso de uma família desde sempre ligada à Medicina e ao Desporto, Drs. Jorge L., Jorge A. e Rodrigo Ruivo, que interliga os Departamentos de Medicina, Exercício e Fisioterapia, visando num único espaço a utilização do exercício físico como uma técnica com efeito terapêutico, com interesse na prevenção da doença e na correção/reabilitação de inúmeras patologias, nomeadamente músculo-esqueléticas, endocrinológicas, neurológicas, reumatológicas e cardiovasculares. Neste processo incluem-se médicos, enfermeiros, técnicos de exercício físico, fisioterapeutas e outras áreas clínicas complementares, em sinergia de saberes com o objetivo único de se receitar exercício físico. A missão da Clínica das Conchas para a promoção de saúde transcende os serviços clínicos, para privilegiar igualmente uma atividade pedagógica de Especialização para profissionais ligados à Medicina, Exercício e Saúde, que resultem, por sua vez, num maior incentivo à prescrição de exercício físico sob orientação médica. Desde 2006 disponibiliza um Centro de Formação Profissional com um vasto leque de oferta formativa nas temáticas da Medicina do exercício, Medicina desportiva, Terapias manuais, Nutrição/Suplementação e Treino das qualidades físicas. Em 2008, no EUA sob os auspícios do ACSM nasceu o movimento Exercise is Medicine®, o que evidencia que valeu a pena ter "pensado” nele e o ter tentado concretizar de uma forma sistemática. Ao longo desta última década, temos assistido à explosão do conceito de Saúde através do Exercício em Portugal, em muito impulsionada pela nossa filosofia e metodologia de trabalho inovadoras. Só podemos ter orgulho na generalização da nossa visão, e uma palavra de especial agradecimento a todos aqueles que, de uma forma ou outra, nos têm acompanhado nesta caminhada.

______________________________________________

O Surgeon General’s (U.S. Department of Health & Human Services) lançou um apelo 13 de setembro de 2015 no sentido de promover a marcha e as comunidades onde se possa caminhar mais. Tal apelo surge pela constatação que um em dois americanos têm uma doença crónica (doença cardíaca, cancro, ou diabetes, por exemplo), a qual contribui para incapacidade, morte prematura e custos para o sistema de saúde. Refere-se ainda que ao aumentar o nível de atividade física das populações se reduz de modo significativo o risco destas doenças crónicas e os fatores de risco relacionados. A atividade física é também importante para o bem-estar psicológico e para o envelhecimento saudável, pelo que é uma das atitudes mais importantes que as pessoas podem adotar, tanto mais que apenas metade dos americanos têm atividade física suficiente. Indica-se ainda que a marcha é um modo simples de começar e de manter um estilo de vida saudável. Na página da internet (http://www.surgeongeneral.gov) muito mais informação sobre esta temática pode ser encontrada.

______________________________________________

A Clínica Médica Exercício do Porto (CMEP) foi criada em 2010 pelo Dr. Jaime Milheiro com o objetivo de prestar serviços altamente especializados na área da medicina preventiva, melhoria da performance individual e funcionalidade, promovendo a saúde e a longevidade. O modelo da CMEP foi inovador no mercado nacional, tendo-se afirmado como uma clínica que baseia a sua oferta, não só ao nível do tratamento, mas sobretudo na prevenção, manutenção e melhoria da condição física e mental como um todo. Trata-se, pois, de um conceito global que reúne conhecimentos físicos e fisiológicos, gerindo a performance física numa perspectiva holística, isto é, não está só em causa a parte física ou traumatológica, em caso de recuperação, mas também uma visão fisiológica que a investigação e o acompanhamento médico feitos em atletas de alta competição trazem ao comum do cidadão, numa simbiose de desporto e saúde inovadora no nosso país. Por outras palavras, toda a investigação médica registada no desporto de alto rendimento pode ser aplicada como medida de prevenção, recuperação e manutenção a todos os utentes da Clínica Médica do Exercício do Porto, promovendo e estendendo a funcionalidade individual. Assim, debaixo do mesmo chapéu e em programas específicos estabelecidos para cada indivíduo, a CMEP oferece o estudo do exercício aplicado a cada caso e o respectivo acompanhamento médico em função das necessidades. Esta abordagem é dirigida a pessoas de todas as idades, praticantes de desporto, amadoras ou profissionais, com ou sem doença, sendo especialmente indicada para todos que apresentem um ritmo intenso de treino ou de trabalho, podendo beneficiar consideravelmente com os programas de acompanhamento desenhados pela clínica.

______________________________________________

É uma publicação como o carimbo da FIFA e oferecida pelos serviços médicos do F C Barcelona e do Hospital Aspetar, do Qatar, que ao longo de 60 páginas aborda todos os aspetos relacionados com a lesão muscular. Refere-se a Epidemiologia, a Classificação das lesões, o Diagnóstico e a Atuação sobre as lesões, o Tratamento cirúrgico, os Programas de reabilitação, os Critérios de retorno à competição e termina como Prevenção da lesão muscular. O PDF com o texto integral é encontrado na página de abertura do site da Revista (www.revdesportiva.pt).

______________________________________________

A seleção nacional sénior de futebol de praia sagrou-se campeã do Mundo em Espinho no mês de julho, num campeonato disputado entre os dias 9 e 19, e no qual participaram 16 seleções nacionais de todo o Mundo. Foi o primeiro título obtido sob a égide da FIFA, assim como o primeiro título mundial obtido pela FPF nesta categoria. Naturalmente que o apoio médico, proporcionado por um médico, um enfermeiro e um fisioterapeuta, deu alguma ajuda na preparação e recuperação dos jogadores, e no final também receberam a medalha de ouro. Discreta, mas presente e compete, assim deve ser a equipa médica em qualquer evento. No final de cada jogo, um jogador sorteado de cada equipa foi sujeito a controlo de antidopagem. Esta Revisa felicita os novos campeões, o seu treinador Mário Narciso e a direção da FPF que tanto apoio tem dado à equipa. Mas, mais recentemente, sagrou-se campeã da Europa na Superfinal realizada em Parnu, na Estónia, que decorreu entre 20 e 23 de agosto. Recorde-se que esta seleção já tinha obtido a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos Europeus realizados em Baku, no Azerbaijão, que decorreram durante o mês de junho. Tem sido um ano extraordinário para o desporto de Portugal.

______________________________________________

A Associação Espanhola de Médicos de equipa de Futebol (AEMEF) é constituída por mais de cem médicos que trabalham em clubes de futebol, foi constituída em 10 de abril de 1989 e tem como objetivo a cooperação entre todos os médicos. Preocupam-se com a particularidade da prática médica no contexto do futebol. Faz parte, e foi membro fundador, da Associação Hispanoamericana da Medicina do Futebol (HISPAMEF). Oferece vários benefícios aos seus associados, como seja o apoio jurídico, a atualização de informação relevante, como seja a da antidopagem ou o apoio médico no terreno de jogo, inscrição gratuita nos Cursos organizados pela Associação, assim como descontos na aquisição de produtos dos seus patrocinadores. A AEMEF facilita ainda o acesso a médicos especialistas nos vários tipos de lesão desportiva. O portal está bem desenhado e várias secções sobressaem na página de abertura do site (Organização, Agenda, Assessoria jurídica, Notícias, Patrocinadores, Controlo de Antidopagem, Terapia Avançada e Área restrita). O Presidente é o Dr. Francisco Angulo Rivero que é médico do Clube Atlético de Bilbao desde a temporada de 1986/1987. É certamente uma Associação pujante e dinâmica a fazer inveja a algumas das suas congéneres.

______________________________________________